Não custa nada ou Vale a pena?

por jul 13, 2018Blog3 Comentários

Responda rápido: quando você precisa fazer algo que não te agrada, geralmente você aciona o pensamento “Ah, não custa nada” ou “Vamos lá! Vale a pena fazer isso!”?

A forma como você lida com as situações pode mudar totalmente os resultados que você tem no longo prazo. Pense aí, agora mesmo:  Qual a sua sensação sobre a expressão “Não custa nada”? E sobre “Vale a pena”?

Não custa nada ser gentil vs vale a pena ser gentil para construir um ambiente de respeito.
Não custa nada ajudar vs vale a pena ajudar o outro porque ele precisa.
Não custa nada doar sangue vs vale a pena ser doador.

Percebeu a diferença?

Nossa disposição é diferente entre um pensamento e outro. Quando você determina que fará uma atividade que não gosta, mas que é necessária e você escolhe a atitude “Vale a pena”, seu engajamento eleva a qualidade do resultado e te traz satisfação em um nível mais profundo.
O ganho desta Atitude é ainda maior quando falamos de ações que envolvem outras pessoas!

Imagine a situação: É quinta-feira, o dia que você tinha reservado para assistir aquele filme que acabou de lançar na TV a cabo. Lá fora, a noite fria e a lua coberta pelas nuvens te convidam para ficar emaranhado nas cobertas. Tudo conspira para você curtir seu merecido momento de descanso. Até que… toca o seu celular.

É um amigo que está com o pneu furado, sem step e que esqueceu de renovar o seguro do carro. Sem graça e cheio de desculpas, ele pede para você ir ajudá-lo.

“Poxa! Já estou até de pijamas! Ele tinha que ligar logo pra mim?”, você pensa. E em seguida fala pra ele
“Claro, sem problemas. Me passa o endereço que já estou indo”.
Aí você sai de casa todo orgulhoso de ser uma boa pessoa e conclui seu pensamento: “Bem, não custa nada ajudar um amigo.”

Seja sincero: Qual seria sua atitude interna diante de uma situação assim? Que pensamentos você estaria realmente alimentando?

Não sei você, mas geralmente as pessoas ficam ressentidas, com a sensação de que o outro está devendo algo para elas. O relacionamento passa a ser permeado por expectativas e trocas, deixando a frustração à espreita só aguardando o primeiro vacilo do outro para se manifestar. Inicialmente, o foco da boa ação se volta para a generosidade de quem a ofereceu, e no segundo momento para a dívida implicitamente atribuída a quem a recebeu.

Agora imagine se ao invés de “Bem, não custa nada…” você pensasse “ok, não é uma situação agradável para mim, mas vale a pena fazer esse esforço!”. Desta vez, a atitude interna está baseada no valor que a relação tem. Quando pensamos que “vale a pena”, estamos pensando no outro, afirmando para nós mesmos o quão importante é aquela relação. Ao invés de dúvidas, dívida e incerteza, a boa ação está baseada em doação (sem expectativas de troca – sua atitude é apenas uma manifestação em resposta à amizade), graça e certeza – certeza de quem o outro é para você.

Por isso, proponho uma reflexão sobre como essas duas atitudes encontram lugar em sua mente. E te convido a passar cada vez mais a substituir o “não custa nada” pelo “vale a pena”. Ao invés de minimizar sua ação com desculpas para não doer tanto (não custa nada), a realidade (custa sim! Mas vou fazer porque vale a pena). Ao invés de displicência, a intencionalidade. Ao invés de troca, a graça. Graça esta que aprendemos diariamente por meio do relacionamento de Deus conosco.

Ou achamos que ao enviar Jesus, Deus pensou “Não custa nada”? Pelo contrário! Custou, sim, e muito – mas Ele sabia que o maior esforço que poderia ter sido feito por alguém valeria a pena, pois seria a única forma de sermos reconciliados com Ele.

Um desafio final: nos próximos dois dias encontre oportunidades de dizer “Vale pena”! Pode ser ao elogiar alguém que você não tem muita afinidade,  tirar a toalha molhada de cima da cama em vez de fazer caso, fazer aquela ligação para alguém com quem não fala há tempos… enfim, quando a situação surgir, esteja pronto a responder do jeito Vale a Pena.

A atitude de pagar o preço para fazer o que precisa ser feito vale a pena. Valorizar o outro e pagar o preço para ter um relacionamento com ele, vale mais ainda!

Posts Relacionados

Qual o seu Temperamento?

Qual o seu Temperamento?

Por que que será que falar sobre temperamentos sempre desperta o interesse das pessoas? Nosso palpite é que, como seres humanos, amamos entender mais sobre nós mesmos, como funcionamos, porque fazemos o que fazemos. De modo geral nutrimos o desejo de saber mais sobre...

O dossiê da Identidade e Autoconhecimento

O dossiê da Identidade e Autoconhecimento

Autoconhecimento é uma das principais características das pessoas que têm um bom gerenciamento emocional e são capazes de lidar com os desafios da vida de forma saudável. Mas o que geralmente não te contam é que ele é só parte do que você realmente precisa praticar e...

Tudo o que você precisa para desenvolver a sua Empatia

Tudo o que você precisa para desenvolver a sua Empatia

Empatia é a capacidade de se identificar com outra pessoa. A Bíblia ensina que devemos amar uns aos outros. Também ouvimos o tempo todo na igreja como é importante vivermos em comunhão com as pessoas e amá-las como Jesus nos amou. O problema é que praticar, de...

3 Comentários

    • Avatar

      Olá como vai? Ficamos felizes que tenha gostado.
      Obrigada!

      Responder
  1. Avatar

    Estou lendo pela primeira vez uma orientação: para se ter um pensamento e postura cristã diante das circustância; Muito didático… é de Deus! parabéns! vou repassar…

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This